top of page

Invertida durante a gravidez. Pode ou não pode?

Para alguns professores de Yoga esse tema pode ser polêmico. Porque existem duas vertentes: os que acreditam que não tem problema praticar invertida estando grávida e que esse tipo de postura tem muitos benefícios, e do outro lado os que acreditam que o fator energético e o risco de queda dão motivos para a contraindicação.


Se buscar estudos científicos sobre o tema, não encontrará uma afirmativa que diga com 100% de certeza: não pode fazer de maneira alguma.


De qual lado você está?

Eu, como praticante de Yoga grávida, tenho a opinião que no primeiro trimestre e até metade do segundo trimestre da gravidez não é tão difícil praticar as invertidas, devido ao tamanho do útero, e que somente se deve ficar atenta ao risco de queda. Quando a grávida não tem problemas de saúde como pressão alta, hérnia na cervical, glaucoma e refluxo, nem está classificada com gestação de alto risco e já tinha a invertida como prática comum no Yoga.


Eu, como professora de Yoga certificada, tenho a opinião que nenhuma grávida deve praticar invertidas completas onde as pernas estão estendidas para cima. Pelas seguintes razões:


1) Risco de queda em qualquer momento. A queda pode trazer o deslocamento da placenta, aumentando o risco de complicações.

2) Quanto maior o crescimento do útero:

a) mudança do centro de gravidade do corpo e a percepção do equilíbrio.

b) maior pressão dos órgãos sobre o diafragma, dificultando ou encurtando a respiração.

c) aumento da pressão arterial.

d) aumento da pressão sobre o estômago, podendo provocar refluxo.

d) maior força muscular do abdômen e músculos intercostais para elevação das pernas.

3) inversão do fluxo de energia Apana Vayu que naturalmente se apresenta mais ativo no corpo pela presença do feto. Tal energia é responsável pela função de eliminação como excreção, menstruação, fluxo da energia para baixo e fora do corpo, muito presente e ativo na região da pélvis e parte inferior do abdômen.


A pergunta fundamental a ser feita sobre praticar invertidas durante a gravidez é: Por qual motivo você quer praticar invertidas durante a gravidez?


Se a prática de invertidas te traz muito sentido mentalmente e o estado de bem-estar vale a pena qualquer um dos riscos, então você mesma já decidiu. Porém, se em algum momento você tiver dúvidas ou não tiver uma resposta verdadeira para a pergunta fundamental, então você talvez não devesse praticar a invertida nesse período.


Alguns professores de Yoga diriam que os benefícios da invertida durante a gravidez está na melhora da circulação sanguínea das pernas, no alívio da tensão da zona lombar, no melhor encaixe do bebê no útero. Sinceramente, você não precisa fazer invertidas completas para ter esses benefícios.


Existem as invertidas clássicas, onde os riscos são nulos ou baixos para o estado de gravidez. Posturas como: cachorro olhando pra baixo (Adho Mukha Svanasana), cachorro de três patas (Eka Pada Adho Mukha Svanasana), coração derretido (Anahatasana), pinça (Uttanasana), grande ângulo (Prasarita Padottanasana), meia ponte (Setu Bandha Sarvangasana). Quanto ao benefício da melhora da circulação sanguínea nas pernas, pode substituir por posturas como: bastão com variação costas no chão e pernas na parede (Dandasana), meia ponte com variação de apoio sobre a lombar e elevação unilateral de pernas (Setu Bandha Sarvangasana).


Cada gravidez é única e a maneira como cada grávida sente e vê sua própria gestação deve ser respeitada.

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page